You are currently browsing the tag archive for the ‘Portugal’ tag.

Ao que parece, cresce a ideia entre vários comentadores políticos que Sócrates é confiável, mesmo quando não está a dizer a verdade. Ou seja, Sócrates mente, mas com convicção. E isso, como se sabe, é uma grande qualidade.

Sem comentários.

Anúncios

Depois da previsível vitória do socialista Carlos César nas eleições insulares, importa, agora, responder a uma questão que tem escapado à análise de todos os comentadores e analistas políticos:  com Carlos César no governo regional, quem escolherá Tony Carreira para fazer as primeiras partes dos seus concertos?

IOL Diário – Homem que disparou na esquadra em liberdade.

Depois do anúncio da candidatura de Patinha Antão à presidência do PSD, não vejo qualquer motivo para Ribau Esteves conter-se e não considerar este o momento adequado para avançar, também, à conquista da liderança do partido.

Afinal de contas, quem quer “uma gaja boa com’o milho, tem que namorá-la!”, não é assim?

Que, para além dos habituais e insuportáveis cálculos políticos, dos timmings, dos notáveis e das bases e mais o diabo que os carregue a todos, alguém nos vai dizer o que o partido pensa do e para o país?

Há, ainda, algo que justifique a existência deste partido? Se sim, digam-no rapidamente, por favor. Ou calem-se para sempre.

Ah, e se for para repetir a ladainha do partido de centro, da social-democracia, blá blá blá, escusam de se incomodar. Para isso, já nos chega o Partido Socialista. O que precisamos é de uma ALTERNATIVA.

Cabo-verdiana quer nacionalidade mas “mau português” impede-a

Tomasia tem 48 anos e vive há oito em Portugal com o marido e os filhos

Tomasia da Silva Costa vive em Portugal desde 2000 e quer ser portuguesa. Mas o facto de não saber ler nem escrever dificulta a sua capacidade de passar no exame de português, um dos requisitos obrigatórios para aceder à nacionalidade.

Porque é que não a deixam fazer o exame de Português do ensino básico? Aquele em que os alunos passam de qualquer maneira, desde que se perceba, minimamente, a ideia que pretendem transmitir, mesmo que o texto esteja carregado de erros? Ah… não tem interesse… não conta para as estatísticas… hum…

E o Sr. Madaíl? Não terá interesse que a Tomasia dê uma perninha na Selecção Nacional? Como? Já tem 48 anos… pois é! Chatice.

A.S.A.E. – Autoridade de Segurança Alimentar e Económica

Demorará tempo, por certo, a reenquadrar a história contemporânea portuguesa, à luz desta instituição. Mas, para o português comum e anónimo, é já claro: há um Portugal a.A.* e um outro d.A.**.

[a atribuição desta distinção a uma personalidade jurídica julgo que não carece de justificação adicional]

* antes da A.S.A.E.                     ** depois da A.S.A.E.

Concluída a presidência portuguesa da U.E. (a última, em virtude do Tratado entretanto assinado), o que fará José Sócrates em 2008?

Hip. A – Lembrar-se-á que os portugueses tinham expectativas quando lhe deram uma maioria absoluta e  executará profundas reformas em sectores importantes da sociedade portuguesa, fazendo de Portugal um país mais moderno, mais competitivo e mais justo, tornando-se, ele próprio, num bom primeiro-ministro;

Hip. B – Regressado daquele local onde passou os últimos meses, onde interpretou o papel de grande estadista europeu, com um lugar na história dos grandes momentos da construção europeia, Sócrates ver-se-á confrontado com a realidade e entrará em depressão profunda. Ver-se-á isolado num pântano e procurará refúgio internacional.

Hip. C – Continuará a fazer jogging.

Sinceramente, estou indeciso.

Há datas que devem ser lembradas e recolocadas, historicamente, no local de destaque que merecem.

Faz hoje 32 anos.

[Ao telefone]

A sua chamada está em lista de espera… Música.

– Sim?

– Bom dia. Fala da Câmara Municipal?

– Sim.

– Passe-me à tesouraria, s.f.f.

Música, novamente.

– Tesouraria, faz favor. 

– Boa tarde. Fala da empresa Y. Era por causa de uma “facturita” que aí temos…

– Ainda não está nada a pagamento, interrompe abruptamente.

– Sim, sim. Eu sei. Mas, não é isso. É que a factura faz hoje dois anos. Só queria cantar-lhe os parabéns!

O apuramento foi difícil, mas brilhante, porque conseguido. Assim como não há vitórias morais, também não deve haver derrotas morais.

Agora, é tempo de recuperar os ausentes Ricardo Carvalho, Jorge Andrade, Petit, Miguel, Paulo Ferreira, Deco, Postiga, Hugo Almeida e, quem sabe, Figo.  E trabalhar. Com uma boa preparação, que eleve a confiança e os níveis de jogo, acredito numa boa prestação no europeu.

A propósito do europeu, é curioso e surpreendente ver como os mesmos jornalistas e comentadores que tanto criticaram (muitas vezes, bem) as prestações da selecção e a forma como decorreu a fase de qualificação, apareçam, logo de seguida, a apontar Portugal como um dos favoritos a vencer a competição (!) . Não temos emenda.

Para que não fiquem dúvidas, quando falo em boa prestação, falo em passar a fase de grupos, o que não será fácil, qualquer que seja o grupo que nos calhe em sorte. Se formos com este pensamento realista, como outsiders, talvez possamos surpreender. Caso contrário, provavelmente seremos surpreendidos, como no mundial da Coreia – Japão.

Depois dos multiusos e das rotundas, o que está a dar são os centros interpretativos.

Olarila.

Caro Scolari,

Aqui fica o onze desejado para mais logo: Ricardo, Bosingwa, F. Meira, B. Alves e Caneira, M. Veloso, Maniche, Nani, Quaresma, C. Ronaldo e Makukula.

Se as coisas correrem como espero, por volta dos 60, 70 minutos, retira o Quaresma e o Makukula e lança o Simão e o N. Gomes, para a estocada final.

Vá por mim e, vai ver, sairá em ombros. Ou faça o que quiser, desde que dê três secas.

Até logo e boa sorte.