A questão da transparência torna-se ainda mais nuclear num momento em que florescem em blogues e fóruns na internet diversas suspeitas sobre vários negócios menos transparentes realizados no Sporting, nomeadamente os relacionados com a recente venda do “património não desportivo”.

Até prova inequívoca em contrário, não passam de boatos infundados, férteis neste tipo de meios. Mas, não deixa de ser mais uma razão para FSF dar todas as condições aos sportinguistas para tomarem uma decisão informada.