Num jogo em que, determinado árbitro, perdoou a expulsão a um jogador ainda na primeira parte e assinalou, num dos lances mais polémicos desta época, uma falta que daria o único golo da partida, o observador resolveu avaliar a sua prestação em 3,7 valores, numa escala de zero a cinco.

Descontente, o clube que se sentiu lesado nas duas situações, usando um direito que lhe assiste, recorreu da classificação. A nota foi revista para 2,7. Ainda assim, mantendo-se positiva.

O árbitro, indignado (!), promete recorrer da decisão e ir até às últimas consequências.

Espero que sim, que abandone a arbitragem.