Bloggers Unite - Blog Action Day

 

Hoje é dia de falar de Ambiente. Ainda bem. Não vou tecer grandes comentários sobre o tema, até porque não estou habilitado para o fazer. Vou deixar apenas uma lista de sugestões que gostava de ver implementadas em Portugal. Cá vai:

  • A nomeação de um Ministro do Ambiente. É isso mesmo, não há engano. Entre outras coisas, teria como missão definir uma política ambiental para Portugal. Estamos mesmo necessitados.

  • Acabar com os P.I.N.’s (Projectos de Interesse Nacional). Esta medida, criada por este governo, visa facilitar as burocracias e controlos ambientais dos grandes projectos imobiliários e empresariais, isentando-os assim de grandes constrangimentos. Com os PIN’s, a mensagem é clara: o Ambiente não está no topo do interesse nacional. Há que mudar esta situação.

  • Incentivar o uso de energias alternativas. Mas a sério. Não falo daquela patética dedução actualmente prevista no IRS.

  • Proteger o que resta da magnífica paisagem que este “jardim à beira mar plantado” oferece. Não é isso que se passa na Arrábida, nem o que pretendem para a Costa Alentejana. Já nem falo do Algarve, porque é tarde demais. Sobra, por enquanto, o interior, ainda pouco atractivo.

  • Definir uma política de gestão da Água. Já o disse Gorbachev que será – se não é, já – o grande dilema a resolver pela Humanidade, potencial causa das maiores guerras deste século.

  • Melhorar a rede de transportes públicos, de forma a constituí-la como verdadeira alternativa ao uso do automóvel. Para isso, é necessário que alie eficiência e comodidade. Terá custos, mas, se abdicarmos do TGV que não precisamos, está encontrada a fonte de financiamento.

Já me contentava com isto, ao nível do Estado. Não será fácil, mas é a caminhar que se faz o caminho. Por isso, Sr. Eng. Sócrates, em vez de ir aos E.U.A. dizer, num magnífico inglês técnico, que Portugal está comprometido com o combate ao Aquecimento Global – como se isso importasse a alguém ou fizesse alguma diferença -, faça alguma coisa pelo Ambiente em Portugal, que a malta agradece. Não queira ser mais papista que o Papa.

Quanto a cada um de nós, simples indivíduos, podemos adoptar um lema muito simples: evitar o desperdício. Parece simples, mas é o que está ao nosso alcance. E sempre é um começo!