… depois da mesma ser interrompida para passar um directo da chegada de José Mourinho ao aeroporto, ou o raio que o valha. Fez bem.

O que eu ainda não consegui perceber é porque é que um responsável por uma estação televisiva de notícias, que se quer credível, entende ser relevante cobrir a chegada ao aeroporto de um treinador português, que decide vir passar uma temporada à sua terra natal, depois de ser despedido. E ainda percebo menos a necessidade de fazer um directo no jornal da noite. E interromper uma entrevista a um ex-primeiro ministro – mesmo sendo o “menino guerreiro” – para esse directo… isso então, é surreal.