Depois de afirmar que o holocausto era um mito, baseado numa teoria por comprovar; depois de insistir em desenvolver um programa nuclear que diz servir apenas fins energéticos; depois de defender a aniquilação de um estado vizinho, Israel; eis que o presidente iraniano profere uma declaração intolerável. Diz ele, “no Irão não há gays”.

Não restam dúvidas, este homem pode ser perigoso.