Espresso. Este fim-de-semana decorreu, no Porto, a quarta edição do Serralves em Festa, considerada a “maior celebração cultural da Europa”. Dois dias, cerca de 75.000 vistantes, muitas iniciativas, muita procura, grande qualidade, um local lindíssimo e uma Fundação que engrandece a cidade e o país. A bem da nossa auto-estima colectiva!

Meia-de-leite. Falhada a constituição europeia, por veto de parte dos eleitores europeus, ensaia-se agora a aprovação de um mini-tratado (seja lá o que isso for!). À margem da “construção” europeia continuam os cidadãos europeus, sem perceberem nada do que se passa. Não admira que, quando chamados a votar, a resposta só possa ser uma… mas, desta vez, parece-me que será tudo bem pensado e os eleitores serão dispensados desse “formalismo”.

Descafeinado. O choque tecnológico continua. Agora, vão distribuir computadores (quase) grátis (alguém terá de os pagar, está claro!) e ligações de banda larga a preços mais convidativos. Objectivo: proporcionar o acesso a computadores e a uma ligação à Internet em banda larga a meio milhão de pessoas, entre estudantes, professores e trabalhadores em formação”. Eu, que não faço parte do “target” definido pelo governo e já adquiri, sem ajudas nem comparticipações, o meu portátil, faço uma sugestão: que tal o Sr. Primeiro-ministro se empenhar na promoção da concorrência efectiva no sector das telecomunicações, que vive num estado de quase monopólio, com a conivência do estado e das entidades que deveriam zelar pelos interesses dos consumidores? Seria agradável pagarmos TODOS um pouco menos pelo acesso à banda larga e outros serviços de comunicação!