É preciso uma visão política, com abertura de espírito, inovação e criatividade. Mudar a economia, mudar o sentido da política, mudar a vida. Capacidade de invenção, poder de inspiração.

Manuel Alegre e o “quinto poder”. Lol.

Ao contrário do noticiado, a conferência que juntou em Copenhaga os principais líderes mundiais a discutir o problema do aquecimento global do planeta, não só não foi um fracasso, como parece já estar a produzir resultados!

Ao que parece, cresce a ideia entre vários comentadores políticos que Sócrates é confiável, mesmo quando não está a dizer a verdade. Ou seja, Sócrates mente, mas com convicção. E isso, como se sabe, é uma grande qualidade.

Sem comentários.

Mas eu gostava de ver as caras deles. Gostava de os ouvir falar. Gostava de os ver sair de casa e ir à pastelaria ali da esquina. Gostava de saber os seus currículos, o que faziam antes e como foram parar à Gebalis – quem os convidou, quem concorreu a concursos ao lado deles, e o que fazem hoje em dia. Se são militantes dos partidos do costume. Se trabalham ainda para o Estado

Pedro Rolo Duarte

Um post que merece ser lido na íntegra e com o qual concordo totalmente. Só espanta que nada disto ocorra a um só órgão de comunicação social. Triste país de comprometidos este em que vivemos.

Não será fundamentalista considerar fundamentalista a reacção dessas pessoas?  Afinal de contas, apenas escreveram uma carta manifestando o desagrado em relação a um sketche, dirigida à entidade a quem compete regular essa actividade. No fundo, exerceram o Direito à Indignação, da mesma forma que, no meu entender, os Gato Fedorento usaram o Direito à Liberdade de Expressão.

Mas estou de acordo contigo: não foi um sketche especialmente engraçado. Mas, como ninguém é condenado por falta de graça – e ainda bem, digo eu – só resta à ERC uma coisa: registar e arquivar.

Depois da previsível vitória do socialista Carlos César nas eleições insulares, importa, agora, responder a uma questão que tem escapado à análise de todos os comentadores e analistas políticos:  com Carlos César no governo regional, quem escolherá Tony Carreira para fazer as primeiras partes dos seus concertos?

Aos interessados, o FX, canal exclusivo da Zon TV Cabo, está a repetir esta série de culto, desde a passada segunda-feira, diariamente,  às 23:50.

Para quem quizer ver ou rever, os cinco primeiros episódios repetem amanhã, Domingo, a partir das 10 horas da manhã.

Eu já agendei a gravação.

ground zero

IOL Diário – Homem que disparou na esquadra em liberdade.

Para chegar ao título, sofrer não chega. Mas é essencial.

(Felizmente, o resultado da partida ficou sentenciado quando decidi entrar no estádio pela Porta 01).

henri-cartier-bresson.jpg

Poucos dias depois da celebração do Dia Mundial da Fotografia, espaço para o grande mestre: o romance num café de Paris, sob o olhar atento do “fiel amigo” e, claro está, da lente de monsieur Bresson.

Segundo as primeiras notícias, FSF saiu vencedor. Pelo menos parcialmente. A Academia passa para a SAD e é concedida autorização para a emissão dos títulos obrigacionistas. Só a Sporting Comércio e Serviços mantém-se na esfera do Clube.

Fico-me por aqui, que já são horas de dormir. Amanhã há mais.

P.S.: Afinal, as notícias são contraditórias. Ao contrário do noticiado pela Sic N, a edição on-line do jornal O Jogo diz que FSF não pode levar por diante o projecto de reestruturação, pois teve 63% de votos favoráveis quando necessitava de mais de dois terços dos votos. A acompanhar.

Apesar das questões afloradas, FSF tem definido objectivos e procurado soluções para o maior problema do Sporting, a asfixia financeira. Nesse sentido, vejo genericamente com bons olhos este plano de reestruturação, mas gostava de ver ressalvada a questão do controlo da SAD.

Resta saber se podemos ter “sol na eira e chuva no nabal”.

Para além de FSF, há um outro sportinguista que tem de ser ouvido na assembleia desta noite: Dias da Cunha (DdC).

Depois do que tem insinuado, só pode exigir a demissão dos actuais órgãos directivos e a convocação de eleições antecipadas, apresentando provas de que aqueles não são pessoas de bem, conforme tem afirmado.

É o mínimo exigível, depois de todas as intervenções públicas que o ex-presidente do Clube proferiu.

A questão da transparência torna-se ainda mais nuclear num momento em que florescem em blogues e fóruns na internet diversas suspeitas sobre vários negócios menos transparentes realizados no Sporting, nomeadamente os relacionados com a recente venda do “património não desportivo”.

Até prova inequívoca em contrário, não passam de boatos infundados, férteis neste tipo de meios. Mas, não deixa de ser mais uma razão para FSF dar todas as condições aos sportinguistas para tomarem uma decisão informada.

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.